Guacamole: o Mexicano Gourmet

guacamole-gourmetA verdade é que este restaurante surpreendeu-me. E isso é algo um pouco difícil de ser conseguido no meu caso. Este restaurante foi-me apresentado pela minha melhor amiga e digo-vos que fiquei com a “pulga atrás da orelha” assim que vi o nome e o que dizia… O nome do restaurante: Guacamole; apresentava-se como comida mexicana gourmet. E aí ficou o espanto, a dúvida e a curiosidade, que não só me intriga mas me obriga a buscar por mais. Tive de experimentar!

Algo no sabor da comida soava a familiar. Sou brasileira, logo qualquer comida sul-americana é do meu inteiro agrado, mas esta tinha um toque diferente. Parecia “comida de casa”, mas diferente… O que eu pedi (e costumo pedir sempre): uma salada. Mas não uma salada qualquer, uma salada mexicana! Com feijão, carne (de frango no meu caso), alface e molho vinagrete. Tudo de bom! E quanto ao quésito gourmet também está sem dúvida lá. Um prato bonito, comida bem confeccionada e bem apresentada.

guacamole
Salada Mexicana

É de se salientar também que os sumos naturais são qualquer coisa de especial! Têm diariamente um “sumo do dia” à escolha (que pode pedir para provar) e também dispõem de sobremesa do dia e prato do dia. Embora no meu caso eu sempre me fique pela maravilhosa mousse de maracujá (quando disponível).

A decoração do local é agradável e o restaurante é bem movimentado. Torço para que um dia o restaurante abra o seu espaço próprio numa zona mais polivalente, sem querer de todo desfazer do espacinho simpático que têm no Centro Comercial Colombo.

Um beijo e um queijo,
Vanessa.

Guacamole Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Revisão de 2015

O que dizer deste ano que passou mais depressa do que imaginei?
Entre os stresses dos exames nacionais, a indecisão do curso a selecionar, os nervos de saber se entrei ou não, a emoção de pisar num ambiente diferente, conhecer pessoas novas, deixar algumas outras para trás, manter o essencial. Manter acima de tudo o foco! Muitas outras novidades encheram o ano de repleta alegria (e por vezes grande tristeza). Este ano foi um ano de novidades, de auto-conhecimento, descobertas e muitas outras coisas. Aprendi tanto! E ainda há muito para aprender… A estrada é longa…

Aprendi muitas coisas novas…
Aprendi como fazer canapés. Aprendi como se faz um trabalho (a sério). Aprendi a servir. Aprendi a ser turista na minha própria cidade… E noutras cidades…

Creio no entanto que o ano pareceu curto… Deixou aquele gostinho de “quero mais”… Queria ter tido mais tempo… Queria ter conhecido mais pessoas, aproveitado oportunidades, abraçado mais pessoas… Tanta coisa que deixamos por fazer não é? Mas, o lado bom é que ainda há um outro longooo (ou curto) ano pela frente. Que trará novas surpresas. Mais novidades. Quem sabe muitas outras alegrias (e talvez algumas lágrimas também).

Fecha-se um ciclo. Abre-se outro.
Que seja bom. Que nos renove.

#nacozinha: Ideias para entradas de natal

 photo canapes-entradas_zpsm2ztwxnz.jpg

Olá pessoal. Começo hoje uma nova categoria ou tag do blog, onde abordarei o assunto: “cozinha”. Não, não sou grandeeee conhecedora do assunto (pelo contrário, até me considero BEM longe disso… pra não ser tão “má” comigo mesma, hehe). E por isso mesmo, partilharei convosco o pouco que vou aprendendo pelo caminho… Tomei como objetivo no ano de 2016 aprender mais sobre cozinha e cozinhar mais e, porque não, compartilhar com outros a experiência. Até porque, se eu consigo, você que está lendo esse texto, também consegue!

O primeiro post dessa categoria será sobre canapés e entradas. Esse jantar me responsabilizei por (parte) do jantar (ceia) de natal. Fiz a ementa todinha, selecionei as bebidas e a sobremesa e fiz as entradas (não é muito, eu sei, mas já é um princípio).

As entradas que tivemos foram: espetada de tomate chérrie com queijo mozzarella, tosta de salmão, tosta de fiambre e manga e tosta com presunto e queijo.

 photo entradas_zpsp5narqfj.jpg

Nada complicado!
Para as espetadas é só preciso comprar tomate chérrie, queijo mozzarella (em bolinhas pequenas) e, se quiser, molho “pesto” (um molho verde, bom para saladas; costuma estar disponível nos supermercados locais).
Para a tosta de salmão pode comprar salmão (em pequenas quantidades) e enrolá-lo cuidadosamente, colocando por cima uma pequena porção de queijo philadélphia. Para a tosta de presunto pode ser o mesmo procedimento (embora eu tenha preferido apenas enrolar o presunto e passar o queijo na própria tosta, apenas para ficar diferente do anterior). Para decorar coloquei também uma folha de salsa.
A tosta de fiambre e manga é deliciosa e simplesmente a melhor entrada do jantar. Comprei fiambre de peru e sobrepus várias fatias umas sobre as outras e depois passei queijo philadélphia por cima e uma tira fininha de manga no meio. Por fim enrolei e cortei em vários pedacinhos. Depois é só colocar por cima da tosta e está pronto a ser servido…

Estas pequenas ideias acabam por ser simples e dar um toque mais especial ao jantar. Além de ser sempre agradável apreciar uma boa entrada, acompanhada de uma conversa alegre com familiares e amigos.

Inverno…

No inverno passado eu passeava pela rua e quem diria, quem diria que um dia eu estaria aqui, no mesmo lugar de sempre… Mas não, não estou igual, poderia estar, mas não estou. Um ano passou e os invernos continuam iguais, mas eu não.

Há um ano haviam pessoas, agora existem outras. Há um ano haviam memórias, agora existem outras. E dentro de toda esta abundância de novidades, eu poderia permanecer a mesma, mas não sou. E a falta de igualdade não me comove nem me atormenta. Deixa apenas uma leve curiosidade em mim.

Eu não queria ser igual ao que fui e penso seriamente em tornar-me diferente do que agora sou. Porque até na mesmice do inverno há diferenças. Nenhum inverno é igual ao outro. A chuva que hoje passa nunca antes passou, o frio que hoje nos deixa encolhidos no cobertor não é o mesmo. Nem as pessoas que cruzam as ruas movimentadas com agasalhos reforçados são as mesmas…

Eu podia ser a mesma mas não sou. E até o inverno, que deveria ser o mesmo já mudou…

partir, girl, nature, go, travel, solidão, sozinha, triste, sad, quotes, text, love, moments, friends, family,

Deixa partir…

Image Credit: Unsplash

Na vida agarramo-nos a ideias, a pessoas, a momentos, a memórias, a tudo o que nos pareça especial. Temos que aprender a largar, a deixar ir. É como puxar uma corda que não leva a lado algum e não traz nada. É como insistir no vazio. Não vale a pena. Deixemos ir…

Eu nunca soube deixar partir porque despedidas entristecem. Mas isso não faz parte daquilo que chamamos de crescer não é? Crescer é partir, e partir é crescer. Ou pelo menos saber fazê-lo. Não, ninguém nos dá nenhum curso intensivo sobre como partir e deixar partir. Aprendemos com o decorrer da vida. Com a experiência e com o que retiramos dela. Aprendemos a deixar partir deixando e aprendemos a partir partindo.

Não é fácil e não parece bonito naquele instante. Mas é necessário, extremamente necessário. As pessoas por vezes mudam, ou alteram o caminho. Não podemos seguir na rota delas, temos que fazer a nossa e seguir os passos que temos a percorrer e isso não inclui o mundo todo. Por vezes inclui pessoas imprevisíveis e exclui outras que acreditávamos ser para a vida toda. Mas a vida toda é muito tempo e não medimos as pessoas pela duração da permanência e sim pelas memórias boas ou más que nos deixam.

Então eu deixo partir. Porque sou livre de o fazer e porque não acho justo prender quem já não pertence aqui. Deixemos ir… E se eu partir, deixa-me ir. Porque também sou livre de fazê-lo e não é justo prender-me se eu já não pertencer ali. Logo eu, que sou como os pássaros? Vejo um mundo pela frente e quero explorá-lo. A curiosidade nunca veio em caixas… Portanto deixa partir, a descoberta avizinha-se e ainda à muito por ver… Deixa partir…

worker, student, girl, travel, blogger, blog, university, study, college, faculdade, estudar, estudante,

Trabalho e estudo – Como conciliar?

   Image Credit: Kaboompics

     Quando eu olho para as pessoas e digo: “sim, eu trabalho e estudo” elas olham para mim espantadas (como se eu tivesse dito que tenho poderes sobrenaturais ou algo do género). Sim minha gente, eu trabalho e estudo! E por mais incrível que pareça é uma das realidades mais recorrentes nos nossos dias visto que muitos pais não têm a possibilidade de pagar a faculdade aos seus filhos e para que eles possam prosseguir nos estudos têm que tomar iniciativa e fazê-lo por si próprios.

     Se isso tem um efeito positivo ou negativo nos jovens, isso não posso dizer pois depende de cada um. Já conheci pessoas que trabalhavam e estudavam ao mesmo tempo e que isso se tornou prejudicial para os seus estudos. Já conheci outras que o fizeram e que isso foi uma estímulo para que não desistissem do estudo. Se és trabalhador-estudante, parabenizo-te! Isso significa que prezas o teu estudo e que acreditas que o estudo de alguma forma acrescenta algo à tua vida. Contudo, não quero de modo algum desmerecer aqueles que decidiram por outro rumo e parabenizo esses de igual forma.

Para os que optaram por estudar e trabalhar ao mesmo tempo, tenho algumas sugestões úteis:

1. Adquire uma agenda.
Garanto-vos que uma agenda altera é essencial (quer estudem quer não). Eu sou conhecida por ser uma pessoa extremamente ocupada. Uma das dicas que sempre dou a quem me pergunta qual é o meu jeito de fazer tudo sem faltar aos meus compromissos e digo-vos já que o único jeito é: ter uma agenda (e usá-la, como é óbvio) e saber as minhas prioridades.

2. Lembra-te do foco.

Optaste por isto, portanto lembra-te do foco que tens de manter. Prioriza o estudo e recorda-te: não é fácil, mas estás a fazê-lo para atingir um fim. Estuda, faz os trabalhos (mesmo que seja muito tarde e só te apeteça dormir), faz um plano de estudos.

3. Vais querer desistir.
Em algum ponto ficarás exausto(a) e quererás desistir. Não o faças. E se tiveres que optar por uma, prioriza os estudos. Não, não vai ser fácil… Por vezes só vais querer ficar deitado(a) o dia todo e o cansaço é tão grande que já nem sequer sabes o que fazer.

4. Alimenta-te corretamente.
A correria entre a faculdade-trabalho não é fácil. Sendo estudante universitária, uma das coisas que sei é que não dispomos de tempo algum, nem mesmo para comer e como tal, torna-se bem fácil saltar refeições ou optar por comida rápida e pouco saudável. Procura alimentos variados, na porção correta e que te possam dar energia. Tenta não saltar refeições. Leva contigo barras energéticas, água e pequenos lanches saudáveis).

5. Procura apoio!
Procura pessoas que te auxiliem e estimulem nos momentos mais difíceis. Quer sejam amigos ou  familiares temos sempre aquelas pessoas que nos dão um apoio constante e que são aquele suporte necessário para tornar os momentos difíceis um pouco mais “suportáveis”. Procura essas pessoas. Pede ajuda nos estudos (ou noutras áreas), mas não te desgastes sozinho.

Trabalhas e estudas ao mesmo tempo? Quais são as tuas dicas para manter o ânimo?

Um beijo e um cheiro,
Vanessa.

student, college, girl, universidade, faculdade, curso, escolha, friends, family, study, secundário, escola

Escolha do curso – a minha experiência

     Image Credit: StartupStockPhotos

Queres entrar para a faculdade e tirar um bom curso? Claro! Mas existe um problema: não sabes que curso hás-de escolher. Se estás nessa situação apresento-te a minha história. Como eu cheguei a escolher o meu curso.

     Durante toda a minha infância e adolescência eu sempre fui muito determinada quanto ao que haveria de seguir. Queria ser jornalista e sempre encaminhei tudo para essa direção. Mas quando entrei no secundário tudo isso mudou, os meus pais explicaram que eu deveria ponderar sobre o assunto visto que era um curso que me levaria ao desemprego. Entretanto comecei realmente a pensar sobre o assunto e acabei por perceber que talvez não fosse o curso apropriado para mim.
Digo e repito: a minha escolha envolveu sim a opinião dos meus pais, mas não foi baseada apenas nisso. Afinal, ingressar na faculdade e que curso seguir deve ser algo inteiramente escolhido e ponderado por nós. Porque serão 3 anos em que estudarás algo, que não, não será fácil e requererá motivação e gosto pela área escolhida. Portanto, passei os últimos meses em pânico quanto à escolha do curso. Tudo parecia confuso e turvo.

    Tudo mudou quando fui à Futurália. Era o meu “agora ou nunca”. Estava determinada a selecionar o meu curso nesse dia. E realmente o fiz. Foi uma forma lúdica, dinâmica, moderna e tranquila de me deparar com o meu curso. Parei na banca de uma universidade na qual acabei por não selecionar como primeira opção e vi o nome Línguas, Literaturas e Culturas em letras grandes. Parei. Tive curiosidade. Informei-me sobre as médias, que aparentemente adequavam-se à minha. Na verdade, o que me atraiu mais foi o facto de o nome do curso ter incutido os meus gostos pessoais. Gostava de aprender línguas, gostava de Literatura e amava conhecer culturas novas. Parecia ideal não é? Aproveitei o dia para informar-me imenso sobre outros cursos, outras faculdades e divertir-me um pouco com as minhas colegas de turma.
Nos dias que se seguiram eu pesquisei na internet sobre o curso e recolhi informação sobre outros cursos do meu interesse e por fim, quando chegou a hora de colocar as minhas 6 opções por ordem acabei por colocar Línguas, Literaturas e Culturas como primeira opção. E adivinhem? Entrei! Primeira opção na faculdade que queria. E sim, gosto muitooo do meu curso.

     Portanto se tu estás a passar pelo mesmo, estás no último ano de Secundário e não sabes que curso escolher aqui estão algumas dicas bem práticas:
1. Simplesmente relaxa e aproveita o teu término de ciclo. É uma fase que termina na tua vida e tu não queres recordar o teu ano como um dos mais stressantes da tua vida.
2. Conversa com pessoas que te possam informar sobre cursos. Familiares, amigos, colegas, antigos alunos, etc.
3. Faz uma pesquisa intensa na web. A internet dá-nos esse privilégio e há inúmeras campanhas online sobre cursos e universidades.
4. Vai à Futurália e às feiras da Inspiring Future, visita as universidades nos “dias abertos” (investiga primeiro quais serão esses dias), frequenta as bancas das universidades que certamente estarão na tua escola Secundária e pede informação sobre os cursos que te “saltam à vista”.
5. Participa de conferências e workshops sobre a escolha do curso.
6. Escolhe o que te agrada, mas ouve aqueles que estão à tua volta, quer sejam pais, professores, colegas, amigos, entre outros, e pondera sobre o assunto.
7. Tira boas notas para subires a tua média e teres alguma “tranquilidade” ao escolher um curso com uma média um pouco alta.

E tu? Já sabes que curso escolherás? Se consideraste as dicas úteis comenta e partilha com outros colegas que estão com dificuldade nessa escolha. Entraste em algum curso este ano? Como foi a tua experiência em escolher o curso?

Um beijo e um cheiro,
Vanessa Almeida.

voo, reservar, flight, world, travel, traveller, girl, tips,

5 sites para reservar voo

Image Credit: Foundry

  Não sei quanto a vocês, mas para mim uma das primeiras preocupações na hora de planear uma viagem para qualquer lugar é onde comprarei os bilhetes de avião. Tudo isto porque viajar é caro, as agências de viagem costumam ter preços exorbitantes e tudo isso até nos desanima. Mas, aí surge a possibilidade de comprar os bilhetes online por um preço muito mais em conta…

E então, as dúvidas começam a surgir: será difícil? Será confiável? Será seguro?!
Todas essas questões e muitas outras nos deixam ‘de pé atrás’ na hora de efetuar a compra, até porque como se costuma dizer: “quando a esmola é muita até o pobre desconfia.”
Digo-vos desde já que nada melhor do que vivenciar algo para termos a plena certeza do que se trata., portanto neste post vou dar dicas de sites para reservar voo (alguns dos quais eu já usei e outros recomendados por pessoas que confio).

Edreams – Utilizei este site quando viajei para Paris. É um site que reúne várias companhias aéreas low-cost e dispõe desde o mais barato ao mais caro. O único lado negativo é que como é um site confiável e os preços são muito baixos  as propostas estão sempre a alterar à medida que as pessoas vão comprando. Portanto uma dica muito boa é comprar as passagens nas horas certas, ou seja, nos momentos em que as pessoas não costumam aceder à Internet, pois há mais oferta e os preços são os mais em conta.

Skyscanner – Não há muita coisa a dizer sobre o site em si, ele é bem parecido ao da Edreams, avalia várias companhias selecionando as combinações mais baratas e sugerindo hipóteses de tornar os bilhetes mais baratos.

Momondo – Para mim este website também é muito parecido com o Skyscanner e com o Edreams. Faz a seleção dos mais baratos, combina diversas companhias aéreas, mas além disso tem uma barra superior que mostra os dias mais próximos da ida e outra com os dias mais próximos da volta e se passarmos o rato por cima desses dias podemos ver quais os dias mais em conta e os menos em conta (isto é, se tivermos datas flexíveis).

Ryanair – Este site é somente de uma companhia aérea. Ela tem os melhores preços para viagens para destinos europeus. Algumas passagens chegam a variar entre 10 a 20€. Viagens dentro do território português também são muito baratas. Útil principalmente para quem deseja ir até ao Porto sem pagar muito e uma boa alternativa competitiva ao Alfa Pendular.

Logitravel – O bom da Logitravel é que apresenta promoções muitos boas e inclui muitas coisas interessantes como pacotes familiares ou pacotes para viagens a dois mais baratas. Não é um site apenas de venda de passagens aéreas, mas também bilhetes para cruzeiros, hotéis e até mesmo parques temáticos! Inclui bons descontos para a Disneyland e outros parques tematicos (principalmente os espanhóis).

E vocês? Que sites usam quando vão viajar? Costumam comprar passagens áereas online?

Um beijo e um cheiro,
Vanessa Almeida.

girl, travel, traveling, traveller, backpack, backpacker, world, gap year, study,

Gap Year – O que é?

   Image Credit: Unsplash

     Num outro post (clica aqui para ler) dei algumas dicas para alunos que terminaram o Ensino Secundário, não entraram na faculdade e estão um pouco perdidos quanto ao que fazer enquanto ainda não sabem em que curso entrar. Se estás nessa situação, tenho para ti uma solução!

Já ouviste falar de Gap Year? Não? Pois bem, é uma espécie de “pausa” entre o estudo secundário e a faculdade. Nesse período de tempo entre os dois tu viajas pelo mundo, descobres outras culturas e conheces outras pessoas naquilo que é uma espécie de programa de intercâmbio/voluntariado. É uma experiência enriquecedora, tanto a nível pessoal quanto curricular, e é muito comum tanto na Europa quanto na América. Pode durar um ano ou simplesmente alguns meses.

De acordo com o site oficial português de Gap Year podes habilitar-te ao concurso de Gap Year e receber uma bolsa de   5.000€, mais a viagem de ida e volta, possibilitando assim a tua participação neste programa.
O website está repleto também de outras informações e dicas muito úteis para “futuros gappers” ou interessados em participar no programa. Um aspeto super interessante do website é ter uma área onde podes pesquisar (por país e respetivo continente) a segurança e a higiene do local do teu interesse e eles dão automaticamente a avaliação do mesmo e também o custo por dia.

E tu? Estás interessado em participar? Já participaste ou conheces quem o tenha feito?
Deixa o teu comentário.

Um beijo e um cheiro,
Vanessa Almeida.

sad, student, girl, college, studying, unhappy,

Não entrei na universidade, e agora?

Image Credit: Foundry

Ah, que momento fantástico para se ser aluno. A entrada na universidade! O momento pelo qual pais, alunos, professores e até aqueles familiares distantes esperavam. O momento em que fazemos valer o penoso esforço de 12 anos de estudo profundo e intenso (ou nem por isso). Mas, calma aí. E quanto aos que não entram? O que se faz aos que não conseguiram entrar este ano?

      Quer por disciplinas por fazer, um exame que correu mal e que terá de ser repetido ou por outro motivo qualquer (incluindo até mesmo impossibilidade financeira), centenas de alunos por todo o país não conseguem ou decidem por bem não entrar este ano na universidade. Nesse momento surge o desânimo de ver os colegas e amigos a publicarem fotos e frases acerca desta ocasião particular e marcante. Mas, nem tudo tem de ser tristeza… Portanto vim dar-vos algumas dicas de coisas a fazer durante este ano que podem ter utilidade mais à frente.

  1. Aprende algo novo!
    Durante o secundário não dispomos de muito tempo livre (ou talvez o tenhamos e não queiramos utilizá-lo da maneira correta. O que é certo é que se estás a terminar disciplinas ou a repetir exames o que vais ter é tempo livre, portanto, aproveita para aprender algo novo. Investe num curso de Inglês, Francês, Espanhol, Italiano ou até mesmo Alemão e Mandarim (porque não?). Melhora em muito o teu currículo e dá-te imenso jeito na faculdade.
    Sempre quiseste um curso de fotografia, escrita, moda, design? Investe agora enquanto há tempo para tal, porque a faculdade tira muito do teu tempo.
    Podes também investir em outros desejos pessoais como aulas de música. Quer o  teu instrumento favorito seja piano, guitarra, bateria, enfim, porque não investir nisso agora? Acredita, depois pode ser realmente tarde demais.
  2. Viaja pelo mundo!
    Imensas pessoas de diferentes culturas pelo mundo afora utilizam o ano entre o término de secundário e o início da faculdade para viajar. Muitos fazem interrails ou intrarails ou até mesmo um gap year (em breve talvez faça um post sobre estes assuntos). 
  3. Faz voluntariado.
    Se sempre quiseste envolver-te em voluntariado mas faltou-te o tempo (como no meu caso), porque não aproveitar este ano para participar em algum projeto (mesmo que a curto prazo) para ser parte de algo que te enriquecerá curricularmente, culturalmente e moralmente? Inscreve-te para ajudar no canil mais próximo à tua casa, ou até mesmo no Banco Alimentar.
    Para os mais altruístas e desejosos de ajudar têm também a oportunidade de ajudar internacionalmente em projetos de um ano ou seis meses em outros países a ajudar em conjunto com alguma associação (como o caso da UNICEF).
  4. Arranja um emprego.
    Vai dar-te jeito (sim, vai). Tanto para o currículo, porque é bom para as empresas que tenhas tido outras experiências de trabalho (mesmo que não tenha nada a ver com o que tu queres fazer a nível profissional). Também seria bom se criasses uma conta poupança e começasses a juntar uma parte desse salário para os teus planos futuros (faculdade por exemplo). Fora que é ótimo ter o nosso próprio dinheiro.
  5. Tira a carta.
    Muitos dos que estão na faculdade querem tirar a carta, mas não podem por falta de tempo (como eu por exemplo). Portanto é uma ótima altura para fazê-lo tranquilamente, sem ser às pressas. E assim, quando fores para a faculdade talvez já possas ir no teu próprio automóvel.

Lembrem-se apenas que o importante é não desanimar! Devem usar este momento da vossa vida como um incentivo para crescer e não para regredir.

E vocês? Entraram na faculdade? Se não entraram deixem nos comentários alguns dos vossos planos para este ano.

Um beijo e um cheiro,
Vanessa Almeida.